quinta-feira, 30 de maio de 2013

CASAMENTO SILENCIOSO (NUNTA MUTA -2008)

“Aconteceu na Romênia, em 1953” – é o crédito que sobe ao final desta coprodução entre Romênia, França e Luxemburgo com direção do romeno Horatiu Malaele.

Com um time dramático tragicômico e burlesco, o filme se inicia nos dias atuais, com uma equipe de filmagem que se diz buscadora de histórias paranormais, chegando ao pátio do que já foi uma fábrica na Romênia e nos informando, jocosamente, que antes ali fora “uma vila que os comunistas destruíram para levantar uma fábrica que agora está sendo destruída para construir uma vila para ricos”.

Remetidos para o passado, somos conduzidos a uma história, que nos é mostrada de forma deliciosa, sobre os personagens daquela vila romena, com suas tradições e peculiaridades, que está sujeita às barbáries russas.

Um casamento será celebrado, tudo está farta e festivamente preparado, a alegria toma conta de todos os convidados, muita música, comida e bebida, mas soldados russos chegam e avisam que Stalin está morto e nenhuma comemoração poderá ser realizada sob pena de ser tratada como alta traição.

Criativamente, após a saída dos soldados russos, decide-se realizar a festa em silêncio e o que se passa a partir daí é sensacional. Algo que nos remete à comédia italiana, ainda que seja uma “festa de polacos”. Denunciando, em meio ao cômico, a tragédia dos regimes ditatoriais.

A vida, a alegria e a desobediência civil são elementos constantes na história, como a nos dar a trilha do que pode nos salvar do autoritarismo.

Filme delicioso, poético, teatral, inteligente, diferente. Eu recomendo!


Postar um comentário