quarta-feira, 20 de junho de 2012

Dançando no Escuro

Lars Von Trier é minha paixão definitiva (e não me venha Karyn Cavalheiro dizer que ela é a número 1!)! Mas, como a Karyn comentou aqui outro dia que se apaixonou por ele em DANÇANDO NO ESCURO (2000), vai esse post em homenagem à amiga, que está se recuperando de uma rubéola.


Revisitando, esta obra prima,  é uma espécie de "musical antimusical"; um musical lúcido, com Björk interpretando Selma, a imigrante operária que, quase cega, junta dinheiro para operar os olhos de seu filho, a fim de livrá-lo da doença congênita que acometeu a todos os de sua família. 


Apaixonada e alucinada por musicais de Hollywood, Selma alterna o trabalho na fábrica com aulas de teatro, tentando esconder o declínio de sua visão. Porém, a sua vida muda radicalmente quando é acusada injustamente de um crime.


Como tudo em Lars, a carga psicológica é profunda e a alma humana exposta entre canções e a incrível interpretação de Björk e participações da grande Catherine Deneuve e do lendário Joel Grey (Cabaré).


Eu recomendo!

Postar um comentário