sábado, 5 de janeiro de 2013

CACHÉ (2005)


E por falar em Michael Haneke, Cahé (oculto) é seu trabalho de 2005.

Denso, pensante, sem trilha sonora, diz com o poder da imagem na sociedade atual, questionando, também, a diferença de classes e o preconceito dos franceses com os muçulmanos e afins.

Daniel Auteuil vive Georges Laurent, um apresentador de um programa de televisão sobre literatura, com seu "bem estruturado" núcleo familiar composto pela esposa intelectual, vivida por Juliette Binoche e o filho adolescente Pierrot.

Tudo se desarmoniza quando a família começa a receber fitas com gravações de sua casa e vidas.

Egoísmos do passado de Georges Laurent vêm a tona, pois ele começa a desconfiar de Majid (Maurice Bénichou), um órfão argelino que seus pais adotaram e a quem ele, na infância, imputou comportamento desviante a fim de afastá-lo de sua família.

Georges vai tirar satisfações com Majid e acentua-se a diferença entre as classes; será o filho de Majid quem tem enviado as imagens?

No filme, "quem" é o que menos importa; todos estão sob suspeição, até o próprio 
Georges Laurent 
  Não importam os autores, mas a consequência dos atos. Preencha as lacunas, eu recomendo!
 
Postar um comentário