domingo, 9 de fevereiro de 2014

BLUE JASMINE (2013)

O filme ruim da vez de Woody Allen teve três indicações ao Oscar: Melhor atriz (Cate Blanchett), Melhor atriz coadjuvante (Sally Hawkinse Melhor Roteiro Original para Allen, que sempre o abocanha.

Apesar de qualificado como comédia dramática, eu não diria que o cômico seja exatamente a tônica de Blues Jasmine.

Jasmine, a personagem de Cate Blanchett, foi inspirada em Blanche Dubois, da peça teatral Um Bonde Chamado Desejo, de Tenesse Williams, do que deriva minha inquietação sobre o fato de, mesmo assim, Allen ter sido indicado ao Oscar de Melhor Roteiro Original (original?).

A crise econômica americana é o pano de fundo do filme, que retrata a decadente Jasmine retornando para a casa da irmã pobre que sempre negara, após seu marido golpista, Hal (Alec Baldwin), ter perdido a fortuna e se enforcar na prisão.

O filme todo se desenrola a partir da tentativa de Jasmine de seguir a vida em meio à pobreza que tanto abomina, morando com sua irmã Ginger (personagem que Sally Hawkins construiu com brilhantismo!), os dois sobrinhos e tendo que enfrentar o namorado pobretão e troglodita de sua irmã.

Em meio ao que é, conhecemos o que foi através dos flashbacks muito bem colocados por Allen, que costura o passado e o presente de Jasmine nos dando a ideia de um panorama caótico, neurótico e, ao mesmo tempo, recheado de uma inocência a qual ninguém neste mundo teria o direito de portar.

A questão sobre se dinheiro, posição, fama e requinte são ou não importantes fica clara no cotejo entre a vida da dondoca Jasmine e a de sua irmã, Ginger, que sem dinheiro, posição ou qualquer requinte acaba sendo quem recolhe Jasmine em sua decadência e, mais, Ginger é quem tem casa, filhos, namorado e amor suficiente para acolher a irmã que no passado não lhe tratara com tanto acolhimento.

O olhar machista de Allen sobre o filme, entretanto, deixa clara sua conclusão, durante e ao final do filme: com dinheiro ou sem dinheiro, uma mulher não pode existir sem um homem. E é este o sabor mais azedo de Blue Jasmine, que acaba sendo difícil de engolir por trazer esta questão de forma fechada, sem nem ao menos deixar que a conclusão seja nossa, como na questão do dinheiro.

Quanto à festejada atuação de Cate Blanchett como Jasmine, mesmo me parecendo que ela quer ser Meryl Streep, em não raros momentos do filme me remeteu mesmo a alguma coisa de Marília Gabriela que já vi na dramaturgia.

A música é boa; blues de primeira!

1. Back O’ Town Blues – Louis Armstrong
2. Speakeasy Blues – King Oliver
3. Blues My Naughty Sweetie Gives to Me – Noone
4. A Good Man Is Hard To Find – Lizzie Miles
5. Aunt Hagar’s Blues – Louis Armstrong
6. House Party – Mezzrow-Bechet Quintet & Septet
7. Out On The Town – Kully B, Gussy G & Bilkhu
8. West End Blues – King Oliver
9. Black Snake Blues aka Black Swing Blues – King Oliver
10. Great White Way Performed By Julius Block
11. The Vision Performed By Dj Aljaro
12. Ipanema Breeze Performed By Paul Abler
13. Yacht Club Performed By Julius Block
14. Human Static Bob Bradley, Matt Sanchez & Gavin Mcgrath15. Average Joe
16. Miami Sunset Bar Performed By Mireya Medina & Raul Medina
17. Welcome To The Night
18. Love Theme Performed By David Chesky
19. My Baby Sends Me Aka “My Daddy Rocks Me (part 1)” Performed By Trixie Smith
Postar um comentário